• Meu Insta

    💦👣not the best day for a walk but Love those leaves!🍁🍂🌧 #gatineaupark #gatineau #rainydays #quebec #quebecregion #fallcolours #fall #autumn #autumncolours #fallingleaves #outono #latergram of this beautiful  garden 🌻 @mosaicanada150 #sunflowers #girassol  #gatineau #ottawa #outaouais #mosaicanada #summerisgone 🛣#alexandrabridge #myottawa #gatineau #ontario #quebec #interprovincialbridge
  • Cada Passo = Flash

  • No Twitter

  • Lendo no momento


    *Livros didaticos: italiano, alemao, holandes, latim e arabe.


    Li esse ano:(mouse no icone)

    Total:

Passadinha por Manhattan

Sempre que vou para o Brasil via Estados Unidos, o meu voo chega em New York de mannhazinha e o voo para o Brasil sai a noite, ou seja, o dia todo lá! Eu adoro porque é uma outra viagem dentro da principal hehe. Se você tem mala de mão, você pode deixar no guarda-volumes; no JFK fica no primeiro andar, perto de onde você vai sair para pegar taxi/van. Calcule bem o tempo de ida e volta para o aeroporto para você passar pela segurança no final do dia, para poder embarcar.

Bom, livre de malas, o bom é ir para Manhattan e ficar o dia lá passeando. Vou descrever as 3 opções que eu já usei.

Indo de táxi, escolha os legítimos táxis amarelos que ficam estacionados em todos os terminais, lá fora, na fila – não pegue os táxis dos taxistas que ficam dentro dos terminais esperando os passageiros e oferecendo corrida.  Vendo os carros amarelos, entre na fila (sim, respeite filas!) e, chegando  a sua vez, a funcionária vai perguntar o seu destino, escrever o número do taxi numa ficha e te entregar (se você precisar reclamar do taxista, ligue e informe esse número). A tarifa é preço fixo. Do JFK para Manhattan custa por volta $65 dólares (tarifa, pedágio, imposto e gorjeta). A corrida pode durar, dependendo do trânsito, entre 45 a 90 minutos.

Outra opção, é pegar alguma van. Elas são boas e mais baratas que taxi, mas demoram mais tempo porque ficam esperando encher antes de sair. Dependendo da van, ela para em todos os terminais para pegar passageiro!

A melhor opção por ser mais barata é ir de metro.  Sem malas é ótimo!

O AirTrain (http://www.panynj.gov/airports/jfk-airtrain.html) interliga os 8 terminais do JFK de graça, e através dele você chega até a Jamaica Station (http://www.panynj.gov/airports/pdf/jfk-airtrain-map.pdf); e daí, você pega o metrô (linha E) para ir para Manhattan.  No aeroporto, siga as placas indicando “Airtrain”, pegue o elevador até a plataforma. Não precisa pagar, você paga no final se entrar no metrô. Preste atenção na placa, veja se o destino é Jamaica Station. Chegando na Jamaica Station, é, basicamente, só seguir as pessoas e entrar no metrô. Antes de passar pelas catracas, você tem que comprar o ticket. Já compra a volta tb, assim como o valor do AirTrain.  Selecione um MetroCard de US$5 para o AirTrain, mais US2,50 para o metro, US7.50 cada trecho (já compre o da volta para facilitar. Com o cartão na mao, passe pela catraca, caminhe até o final da plataforma, vire a esquerda e vai seguindo as placas que indicam subway. Va seguindo até chegar nos elevadores, entre ali e va para o metro. Saindo no elevador, use de novo o cartão que você comprou, e desça o elevador/escada rolante para pegar a linha E para ir em direção a Manhattan.  Nos vagões tem mapas indicando as paradas. Eu desci na última, PATH-WTC, que já é pertinho do World Trade Center Memorial e as novas torres, perto da orla onde se vê a estátua da liberdade, Wall Street, Trinity Church, Brooklyn Bridge, para os animados dá pra andar até o Empire State Bld, Times Sq, Central Park etc.

Na volta, você pode procurar qualquer metro que tenha o E (está indicado nas paredes e placas de fora do metro) e parar na Jamaica Station, entrar no AirTrain e ir até o seu terminal. Verique qual é o seu terminal de embarque porque, muitas vezes, não é o mesmo em que voce chega.

Anúncios

Meu Flickr

Um post rapidinho para mostrar o meu novo Flickr. https://www.flickr.com/photos/113550982@N02/ Aqui, estou colocando, aos pouco,s uma seleção das melhores fotos que eu tinha no meu flickr antigo de viagens e tudo e, claro, as novas a partir do ano passado. Eu gosto do Flickr mas se você tiver um portal melhor para armazenar e display as fotos, me fala. Bom, enjoy!

Air Canada

FELIZ que a partir de Dezembro a Air Canada vai disponibilizar voos diretos do Rio para Toronto! Antes era só São Paulo, agora serão as duas cidades!! As passagens podem ser compradas (por mais 2 dias ) pelo site da Air Canada para a partir do dia 11 de Dezembro, e com opção de 3 vezes por semana. Yay Air Canada!

Malaysia Airlines Flight 370

Como é que se explica em pleno 2014, com tanta tecnologia disponível e ultra avançada,  um Boing desaparecer assim (ou conseguir desaparecer assim)? E a cada hora que vc abre o site da CNN tem uma teoria diferente… Já tem um pouco mais de 1 semana e nem imagino a dor dos familiares…

Saint Pierre et Miquelon-Langlade

Muita gente não sabe mas a França tem ilhas aqui pertinho do Canadá, vizinhas de Newfoundland (Terra Nova), a Saint Pierre e Miquelon-Langlade (São Pedro e Miquelão)! Tem voos saindo de St. John’s, Halifax, Sydney e Montreal. As ilhas St. Pierre et Miquelon-Langlade parecem, para mim, comunidades, vilarejos do interior de Newfounland e são bonitinhas e tem o ‘chic” de ter o francês da França e não o Quebecois. Saint PierreOutra forma de viajar para lá de Newfoundland sem ter que pagar o preço meio salgado da passagem em Euro (!), é viajar até Fortune e de lá pegar a ferry para as ilhas (você tem que deixar o carro em Fortune) – mais informações de como chegar lá vindo de outros lugares no Canadá e nos Estados Unidos aqui nesse site: http://st-pierre-et-miquelon.com/en/getting-here/. Preste atenção nos horários porque durante o inverno os horários são reduzidos e, você tem que contar com a sorte de não ter alguma tempestade de neve acontecendo na região.
O vôo para lá saindo de St. John’s, não é dos melhores porque é num teco-teco hehe e aquilo balaaaança que é uma maravilha. Que m-e-d-o quando eu fui em Dezembro! Os voos saindo de St. John’s são quase todos lotados, não de turistas indo pra lá mas, principalmente, de franceses que vivem lá e vão para St. John’s para fazer compras, passear ou para consultas médicas.

A melhor época é no verão porque nas ilhas não tem ônibus, então, ou você anda de taxi ou a pé. As ilhas são muito pequenas, então, dá pra conhece-las a pé… só que durante o inverno é muito frio ficar batendo perna! Custa 4 euros a corrida de taxi do aeroporto até o B&B. 11988863635_524113ff81_m Eu fiquei no Auberge Saint Pierre e gostei muito! Os funcionários são bilingues e muito atenciosos, os quartos são grandes e limpos, cama confortáveis, banheiros limpos, é bem localizado e o café da manhã é muito bom. Mais opções de hotel e B&B clique: aqui. No verão tem o Festival Nacional de Música da França e a ilha lota, outra data é o dia da Bastilha, no dia 14 de Julho e tem também, muita música e jogos. Dê uma olhada no calendário deles para programar a sua viagem.

Para quem não sabe francês, na maioria dos restaurantes e lojas, os atendentes falam inglês… mas vale a pena estudar e ir praticar o francês lá porque é aquele francês limpinho e claro (e lindo!). O destaque na área de comida é a lanchonete Les Delices de Josephine. Não tem como deixar passar as quitudes de lá e o serviço é ótimo. São poucos restaurantes e estão localizados no centrinho, se prepare porque não são baratinhos e são em euros, mas a comida é uma delicia. St. Pierre é famosa também pelos vinhos e muita gente de Newfoundland quando vai lá, principalmente, na época do Natal é para comprar vinhos por ser mais em conta que no Canadá. Como as lojas especializadas já estão acostumadas, eles embalam os vinhos bem protegidos em caixas para você levar no avião e não quebrar.

Fotos aqui!

Innsbruck e Füssen

Só para acabar a nossa jornada na Itália, vou falar um pouquinho da nossa viagem vapt-vupt para a Alemanha e a Austria quando estávamos em Bolzano. A dica é  cruzar a fronteira e ir (de carro ou trem ou onibus) para Innsbruck (em alemão: Ponte sobre o rio Inn) na Áustria que é uma gracinha! É uma cidade localizada entre montanhas e fica bem na metade do caminho entre Verona (Itália) e Munique (Alemanha) e muito procurada pelos amantes dos esportes de inverno.
DSC02554 (300 x 400)A cidade é  pequena, lindinha e leva algumas para ver os pontos principais. Vou falar de dois lugares que vale a pena e foram os dois que fomos assim que chegamos. O Golden Roof (Telhado de Ouro) é a principal atração turística e está bem no centro da cidade. É esse predinho com  sacadas aí da foto e ficou pronto em 1500. O telhado foi decorado com quase 3 mil ripas de cobre como um marco do casamento do imperador Maximiliano I. Ele e a mulher, Bianca Maria Sforza, assistiam da sacada aos eventos que aconteciam na praça. Esse telhadinho se destaca de longe em dias de sol. 🙂 Ao lado do predinho, está a Helblinghaus, que era uma casa burguesa no estilo gótico e fachada barroca. Nos dois lados destas ruas, você encontra dezenas de lojinhas, restaurantes, cafés, pubs. É um centrinho bem bacana e é uma delícia passear ali devagar olhando as belezas das construções.

P1060256 (600 x 338)De lá, fomos no museu Mundos de Cristais Swarovski que fica em Welten, ali pertidinho de Innsbruck. Para quem não estiver de carro, tem ônibus do centro para o museu. É aberto diariamente das 9:00 às 18:30 (fecha mais cedo nas vésperas de Natal e Ano Novo). Custa $11 euros.  É, no mínimo, brilhante hehe Tem a parte da exposição que é muito interessante mas, o mais legal meeeesmo, é a parte da loja! E tem muita promoção boa. Compensa!!! Quem quiser ver mais fotos está aqui.

P1060199 (600 x 338)dPertinho da divisa com a Áustria ficava a nossa outra parada, Füssen, na Alemanha, e de lá para o vilarejo de Hohenschwangau para ver o castelo (ma-ra-vi-lho-so) Neuschwanstein, a inspiração para o castelo da Cinderela – lá também tem o castelo de Hohenschwangau. Coloque um tenis ou sapato confortável para caminhar porque a subida não é fácil. Antes da subida, você vê as placas indicando o caminho, bar e restaurante típico da Alemanha (saudade!!) e lojinhas. A subida pela floresta é linda, mas é subida hehe Vá com tempo para aproveitar e não cansar. Para ter a melhor vista e tirar uma foto como essa ai, você tem que ir na Marienbrucke; é um lugarzinho bem disputado pela posição favorável para a vista do castelo todo. Não paga para entrar no castelo, mas paga para entrar nas dependencias e, só entra com um guia. Para saber mais informações de preços visite o site oficial do castelo. Mesmo que você decida não pagar para entrar no interior do castelo, você já estará satisfeito porque o castelo é espetacular! Mais fotos aqui

 

Roma 3 e Vaticano

Uma das coisas boas para passear em Roma é o passe diário de metrô e ônibus. Por uns 5 euros você pode andar o dia todo. DSC03063 (400 x 300) Dois lugares que fomos e não tem como perder porque são parte do cartão postal da cidade são: a Fonte de Trevos (Fontana di Trevi) que é a maior contrução de fontes barrocas da Itália e a Praça da Espanha (Piazza di Spagna) que é a praça mais famosa de Roma. As duas são lindas em aspectos diferentes. A de Trevi pelas esculturas e fontes e a outra pela escadaria perto da fonte. A parte ruim que achei é que elas são lotadas! Não que eu não esperasse que elas não fossem, até porque estávamos lá no verãozão, mas chegando lá você tem que disputar o melhor lugar para tirar foto, enfim…

No Vaticano, a gente foi a noite e durante o dia. A estação do metrô para a poucos quarteirões da Praça de São Pedro (Piazza di San Pietro). Pega a linha A, vermelha, na direção de Battistini e desce na estação chamada Ottaviano-S.Pietro, preste atenção. A noite, claro que não dá para entrar na igreja, a praça é linda e não tem muita gente, para tirar foto é ótimo! Fomos de manhã para entrar na Basilica e, de manhazinha, ja tinha uma fila maior do que para entrar no Coliseu). Tem muita caravana religiosa. A fila anda rápido. Preste atenção que não pode entrar com shorts, mini-saias e ombros de fora, vimos muitos homens e mulheres sendo barrados e ainda achando ruim! Ao longo da fila, tem cartazes com o que é aceito e proibido antes de passar pela segurança e os dectectores de metais. Bueno, para entrar na Basilica não paga, mas se você quiser ir na cúpula você paga lá dentro 6 euros para subir até o topo ou 7 euros para ir de elevador até quase no topo; nessa segunda opção você pode ver a Basílica por dentro lá de cima. Você ve os desenhos que vistos do piso são tão pequenos e ali em cima tem uns 3 metros de altura (impresionante!). vaticano (400 x 300)A parte até o topo é no suor mesmo hehe tem que subir os 320 degraus (do chão até o topo 551) . E compensa? MUITO! Eu subi os 463 de degraus na Cúpula de Florença e já tinha valido a pena; então, eu sabia que a do Vaticano seria tão ou mais bonito. E é!! Mas assim como na subida na cúpula de Florença, aqui tem uns trechos mais dificeis que outros, um pouco escuro, escada em ‘caracol’ , alguns degraus estreitos outros largos e, basicamente, não tem lugar para poder parar e descansar; na de Florença para deixar alguém pasar tem que ser coordenado; ali a descida é por outra escada então não tem como voltar. E te conto, as pernas vão cansando… mas depois de quase 1 hora (sim, não sou das mais esportivas e nem in shape hehe) chegamos. É uma vista maravilhosa! Dá para ver toda a praça de São Pedro e tem uma vista 360º de Roma, dá para ver o Castelo Sant’Angelo, o Coliseu e até o Altare della Patria! Ali você tira as fotos e descansa para encarar a descida.

A Basilia é muito maior do que eu imaginava, mesmo pensando na maior igreja do mundo, e a riqueza dos detalhes é quase too much! Você não sabe para onde olhar hehe Esculturas gigantescas e maravilhosas! Não deixem de ver a de Michelangelo, Pietà que representa Jesus morto nos braços da Virgem Maria. E, também, não deixe de ir no subterrâneo; o acesso é perto das estátuas de St. Longinus e St. Andrews perto do altar papal. É interessante ver tumbas e caixões tão antigos. Se você vai até a Roma, você tem que ir ao Vaticano e entrar na igreja.museu E, já que você está ali, você não pode deixar de visitar o museu e ver a Capela Sistina. O museu é colado à igreja. Para entrar no museu tem que pagar e tem uma fila enorme (para não pegar fila em alguns lugares como no Coliseu e no Museu do Vaticano, compre o seu Roma Pass pela internet antes). Para comprar o seu ingresso pela internet compre aqui no site oficial e não ter que perder tempo na fila. O museu é gigantesco e esse tempo você pode gastar lá dentro vendo as artes, pinturas, esculturas, etc. A gente foi de manha na igreja e a tarde ao museu; não dá pra ver todas as obras com calma num dia só, por isso, procure saber mais a respeito do museu e das obras que você quer visitar para não passar batido na correria. Outra coisa é que lá dentro você vai seguindo as setas, assim que é bom ter já as suas prioridades de visita. Dê uma olhada no mapa aqui no site oficial do museu. Tem muita obra interessante, pinturas, múmias, esculturas, objetos, reproduções, enfim, é um desperdicio entrar no Museu para ver só a atração principal (Capela Sistina) ignorando toda a riqueza das obras. A Capela é linda, um pouco escura, pequena, não tem muitos lugares para sentar, não pode tirar foto e pedem para ficar em silêncio…. mas lá dentro é um zumzumzum e um povo mal-educado tirando foto (e olha que nem eram brasileiros!); tente não se ligar a isso e se concentre na riqueza que está na parede e no teto. Para quem é cristão ou não, os afrescos são impressionantes! Eu gostaria de voltar lá mas para tirar o dia para ir só ao museu e outro só na igreja, eu achei muita coisa para um dia só porque ele fecha as 6 da tarde. Outra dica é que no último domingo de cada mês, a entrada é gratuita de 9:00 da manhã até as 12:30, a não ser que o domingo em questão seja Pascoa, dia de São Pedro e São Paulo, Natal e dia de Santo Estevão; você pode conferir os dias em que o museu está fechado no site do museu.

Minhas fotos de Roma aqui!

Próximo post: Austria e Alemanha